Oxford

minimalistaEu gosto bastante de sapatos masculinos. Pode ser de amarrar, pode ser de fivela, pode ser com tassel, adoro todos os modelos. Tenho esse oxford de uma coleção antiga da Maria Bonita Extra pelo qual eu tenho carinho especial: ele é um oxford com salto! Adoro essas misturas de masculino e feminino, e esse sapato é a mistura perfeita. Eu uso pouco, é verdade, ainda preciso aprender melhor como usar — não digo nem exatamente desse sapato, mas dos sapatos masculinos em geral — mas cada vez que uso me sinto feliz : ) E cá estou hoje, feliz com meu sapato masculino x feminino.

Sapato Maria Bonita Extra, calça e camiseta Zara.

Chocolates

“Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!”

Trecho do poema “Tabacaria”, de Álvaro de Campos

Um pequeno trecho de um dos mais lindos poemas da língua portuguesa, hoje, domingo de Páscoa: come chocolates. Vamos nos lambuzar!

 

Lenço

minimalistaDe vez em quando, bem de vez em quando, eu tenho vontade de botar mais cor e estampa na roupa. Parece que ontem e hoje calhou de me dar essa vontade. Ontem eu vesti aquela blusa estampada, o que é difícil de acontecer, e aí hoje, para alegrar um pouquinho a calça azul marinho com blusa branca, eu enrolei esse lenço psicodélico no pescoço. Eu adoro esse lenço, gosto das cores, fundo azul marinho com roxo, vinho, lilás e cinza, é aquela história dos neutros interessantes. É isso, continua tudo neutro, mas interessante :)

Lenço Gap, calça e blusa Zara, sapatilha Richards.

Para fazer amor

Para fazer amor
deve evitar-se um sol muito forte sobre os olhos da garota,
tampouco é boa a sombra se o dorso do amante se esturrica
para fazer amor.
Os pastos úmidos são melhores que os pastos amarelos
mas a areia grossa é ainda melhor.
Nem junto às colinas porque o solo é rochoso nem perto das águas.
Pouco reino é a cama para este bom amor.
Limpos, os corpos hão de ser como um grande prado:
que nenhum vale ou monte permaneça oculto e os amantes
poderão gozar-se em todos os caminhos.
A escuridão não acolhe o bom amor.
O céu deve ser azul e amável, limpo e redondo como uma cúpula
e então
a garota não verá o Dedo de Deus.
Os corpos discretos mas nunca em repouso,
pulmões abertos,
frases curtas.
É difícil fazer amor mas se aprende.

Antonio Cisneros, “Uma garota católica toca flauta”

Blusa estampada

minimalistaHoje estou animadíssima, sexta-feira santa, feriado e blog arrumadinho! Depois de alguns dias parado por conta da migração, o blog volta com as postagens, agora com a casa em ordem, e com tudo no lugar :) . Essa foi mesmo uma semana de colocar as coisas no lugar, de fazer planos para o futuro, de organização. E agora seguimos em frente, tudo certinho. A minha casa hoje está em festa, cheia de gente para o almoço, e eu entrei no clima da animação: vesti uma blusa estampada e fui para o jardim fotografar. Bom feriado para todo mundo!

Blusa Zara, calça Garoa e sandália & Other Stories.

García Márquez

“In the very beginning I paid a good deal of attention to them. But then I realized that life itself is the greatest source of inspiration and that dreams are only a very small part of that torrent that is life. What is very true about my writing is that I’m quite interested in different concepts of dreams and interpretations of them. I see dreams as part of life in general, but reality is much richer. But maybe I just have very poor dreams.”

Gabriel García Márquez, to The Paris Review

Bonsai

“No final ela morre e ele fica sozinho, ainda que na verdade ele já tivesse ficado sozinho muitos anos antes da morte dela, de Emilia. Digamos que ela se chama ou se chamava Emilia e que ele se chama, se chamava e continua se chamando Julio. Julio e Emilia. No final, Emilia morre e Julio não morre. O resto é literatura.”

Alejandro Zambra, Bonsai

Bonsai estava sendo lançado assim que comecei a trabalhar na Cosac. Muito hype em cima do Zambra, novo talento da literatura chilena, aposta da literatura mundial. Era início de 2012, Zambra tinha saído na Granta de jovens autores de língua espanhola, era convidado da Flip daquele ano. Li o livrinho (projeto gráfico maravilhoso da Flávia Castanheira, que conquistou também o autor) em uma sentada, numa manhã em que cheguei mais cedo à editora. Fiquei apaixonada, comprei para dar de presente para geral. É uma história de amor e literatura. Ou melhor, é a história do fim de um amor, um amor pontuado pela literatura. Tem como não se apaixonar?

 

Sandália vinho

minimalistaJá faz um bom tempo que eu navego nesse mundo dos blogs de moda. Gosto e acompanho desde que eles começaram a surgir, lá no começo nos anos 2000. Durante um longo período, a página que eu mais acessava, mais curtia e mais amava de toda essa blogosfera enorme era o blog da Oficina de Estilo. O que a Fê e a Cris fazem não é apenas um blog, elas prestam um verdadeiro serviço de consultoria de estilo on-line. O trabalho que elas fazem tão bem no mundo real, também em forma de site na internet. E ainda por cima recheado de coisas lindas, mimos, delícias e fofuras que deixam qualquer menina babando. Enfim. Eu sou a menina das cores neutras. (vocês sabem, todo dia lá venho eu de preto e branco! Mas a Fê e a Cris me ensinaram que cores neutras podem ser muito mais que preto e branco — as cores continuam neutras, mas ficam um pouquinho mais interessantes! Então hoje eu vim em combinação de tons neutros: vestido preto e sandália vinho. E aí?

Vestido e sandália Zara, colar vintage.

A onda, Francisco Goldman

“Aura veio morar comigo no Brooklyn umas seis semanas depois de ter chegado a Nova York, e dois anos mais tarde estávamos oficialmente casados. Como eu geralmente trabalhava em casa, raramente precisava sair da vizinhança, mas os trajetos de Aura eram demorados. Da minha casa, em Carroll Gardens, ela precisava caminhar 25 minutos até a estação do metrô de Borough Hall e, depois, viajar pelo menos uma hora de metrô até a Universidade Columbia. No inverno, o frio no caminho podia ser brutal. Finalmente a convenci a aceitar um desses casacos acolchoados da North Face, envolvendo-a do alto da cabeça até abaixo dos joelhos em náilon azul recheado de plumas de ganso. ‘Não, mi amor, não fica parecendo que você é gorda, especialmente você. Todo mundo fica parecendo um saco de dormir com esse casaco, mas ninguém liga.’ Com o capuz envolvendo a cabeça, os olhos negros brilhantes, ela parecia uma menina índia caminhando pelas ruas toda enrolada, como se estivesse presa às costas da mãe. Ela quase não saía no frio sem aquele casaco.”

Francisco Goldman,  A onda

Blusa de musseline

étoiles

Olha só que coisa linda essa blusa de musseline de seda. Eu adoro esse tecido, ele é chique, fino, elegante. Uma blusa como essa, de musselinde de seda, toda trabalhada e nesse tom de rosa-maravilha lindo é de cair o queixo. Para produções do tipo arrasa-quarteirão :) A blusa em questão é da Étoiles.